História dos Bailes Black em SP

serjao_dinho_oswaldo_1
Foto: Luiza Sigulem

Confira reportagem do jornalista Marcelo Pinheiro, sobre a história dos bailes black desde os anos 60 até os dias de hoje.

Reportagem de alto nível, com uma excelente cronologia e com as devidas referências aos nomes que ajudaram a construir a história da cultura negra em SP e aos que ainda estão na ativa.

Muito respeito à todos os Discotecários e DJ`s

Matéria completa aqui

Aláfia – O Primeiro Barulho

Após o lançamento do segundo disco, “Corpura” a banda Aláfia, acaba de lançar um single chamado “O Primeiro Barulho”, que teve seu processo de gravação realizado no Red Bull Studios, em São Paulo.

Este single resulta em uma parceria mais que acertada, com os DJ`s Marco e Nyack, membros da festa semanal Discopédia, que acontece no centro de SP.

O Primeiro Barulho” dá ênfase à raiz da cultura negra contida no RAP, por meio dos tambores, assim como, a religiosidade dos terreiros fruto das matrizes africanas.

Um outro ponto de destaque do projeto é a participação dos DJ´s tocando notas musicais em suas performances, ajudando a compor a melodia final da música.

Para fechar o projeto com chave de ouro, a música teve seu lançamento em formato de lyric vídeo, produzido por Lucas Cirillo e Jairo Pereira.

Info: Redbull

Chico Preto e a Dita Cuja

Recentemente a banda Chico Preto e a Dita Cuja (de Itajaí – SC) lançou o CD de estréia “Cabeça no Céu“. Em suas composições a banda traz diversas influências que vão do rock, samba, baião, ao afrobeat.

A música “Adestrados“, foi inscrita em parceria com o MC Sopro Inverso e Chico Preto, a respeito do tema da música, Sopro Inverso, nos mandou um recado de como foi esse processo.

“E o Sopro mand’avisar que foi um grande desafio escrever uma letra sob encomenda, com um tema definido. Buscou referências literárias (1984), musicais (Another Brick In The Wall) e experiências com religiões que conheceu. Ficou muito feliz com o resultado que os músicos Mario Nascimento Jr (bateria), Ozéias Rogrigues (guitarra), Alexandre Siqueira (guitarra), Duda Cordeiro (baixo) e o próprio Chico Preto (vocais e precussão) conseguiram, transformando sua escrita (que foi composta com base na engenharia “verborrágica” do rap) nessa canção de textura pesada e proposta incisiva”.

Outras músicas podem ser conferidas na página da banda.

Soundcloud

O NOVO EP DO PROJETONAVE É UMA CONEXÃO ABC-NOVA YORK

projetonavenyc
Capa do EP, arte por Fernando Eguchi

Os manos do Projetonave trampam pouquinho, viu. Enquanto você fica aí fuçando no Facebook, eles já ensaiaram com 18 MCs, gravaram 15 Manos e Minas e fizeram mais uns 267 beats. Só no mês passado, o Noisey mostrou dois trampos do Projetonave: um show cabuloso com o Síntese e um videoclipe com o GOG.

Desta vez, os caras do ABC chegam pesado no EP Projetonave NYC, gravado com cinco MCs de Nova York. Ouça a parada com exclusividade aqui no Noisey:

O trampo nasceu num encontro na gringa do Akilez com o Eli Efi, ex-integrante do DMN radicado nos Estados Unidos há uma década. Na mochila do Akilez tinha uma pá de bases gravadas em uma session para o Rubber Tracks Sample Library. No trampo do Eli Efi tinha uns moleques talentosos e dispostos a deitar as rimas naqueles beats – ele trabalha numa ONG chamada The Door, empenhada em ajudar jovens que estão em situação de rua, tretados com a família, entre outros perrengues e lá ele já tinha sacado alguns talentos. Aí sabe como é, né? Juntou a fome com a vontade de fazer um som.

Akilez explica a caminhada. “Comecei a mostrar as bases que tinha levado pro Eli Efi e quando olhei pra trás já tinham uns caras rimando. Aí eu deixei fluir, sem pretensão de nada”. Ele conta. “Voltei mais vezes ao The Door e fui ficando íntimo dos caras de lá, alguns deles nunca tinham ido a um grande estúdio”. Akilez deu um jeito de levar a molecada pro estúdio do Rubber Tracks, no Brooklyn, e registrou os novinhos DeVonte Saints, Dice, Yung J e Herban Boi$$y. De quebra ainda rolou um som com o Phes, um veterano militante do Harlem.

“É um registro das circunstâncias que foram colocadas pra nós, um processo natural que foi se montando sozinho. Feliz em poder deixar isso registrado para nós e para os mc´s que participaram, foi um encontro com o terceiro mundo dentro do primeiro. As realidades são parecidas aos quem não tem voz”, finaliza.

Além das quatro faixas pegadonas no golden era, os manos ainda botaram na nossa mão dois videoclipes. Sente o peso.

“The Great Lagoon”, do Projetonave com o DeVonte Saints tem a direção de Anita Goes:

“War”, com direção de L Burnz, traz além do Phes, as atuações de J Craft, L Burnz, Akilez, Eli Efi e Know:

 

CRÉDITOS:
Texto publicado originalmente no site Noisey Vice em 21/10/15 escrito por Peu Araújo

Rashid – A cena

Ontem, o rapper Rashid divulgou o clipe da música “A Cena“, com participação de Izzy Gordon.

Um dos principais questionamentos do clipe, é o tom que se atribui ao negro, por sempre ser tratado como “suspeito” para as abordagens policiais. O tratamento de submissão e repressão psicológica, também tiveram enfoque especial na representação de algumas profissões, como o professor, o motoboy e a empregada doméstica.

Confira, pois ficou pesado!

Info: SITE | YOUTUBE