CONVIDADOS

Vinicius Xavier – 2º Convidado

Como segundo convidado do site, tive a honra de contar com meu grande camarada Vinicius Xavier, onde pudemos conversar sobre sua formação musical, de que forma a música contribuiu para seu desenvolvimento enquanto pessoa, festas e é claro sobre discos.

Também ficamos conhecendo alguns discos raros que ele possui em sua coleção, que chega a quase dois mil discos, divididos entre muita música Brasileira, como Samba, Samba Rock, Bossa Nova, e mais Jazz, Afrobeat e Funk.

Após uma conversa classe A, Vinicius mandou um set nervoso, que foi desde as influências brasileiras, como Bossa Nova, Samba Rock, MPB, ao Jazz e Afrobeat.

SET LIST
1. John Klemmer – All the children cried
2. Frootful – Latin Strut
3. Eumir Deodato – Super Strut
4. Flora Purim – Moon Dreams
5. Fein – Stonedage
6. Stevie Wonder – Too High
7. Stevie Wonder – Sir Duke
8. John Klemmer – Free Soul
9. Fela Ransome-Kuti and The Africa’70 with Ginger Baker – Let’s Start
10. Elza Soares – Mas, Que Nada
11. Arthur Verocai – Presente Grego
12. Leny Andrade – Estamos Aí
13. Johnny Alf – Céu e Mar
14. Marcos Valle – Vem
15. Carlos Lee – Mensagem
16. Elis Regina – Menino das Laranjas
17. Elis Regina – Lunik 9
18. Jongo Trio – Balanço Nº 1
19. Elis Regina – Tereza Sabe Sambar
20. Carlos Lee – Rei do Kilombo
21. Os Ipanemas – Kenya
22. Moacir Santos – Amphibious
23. Paulo Moura Quarteto – Yardbird Suite
24. César Camargo Mariano – Tema de Cathy
25. Claudia – Garra
26. João Donato – Que Besteira
27. Emilio Santiago – Bananeira
28. Antonio Carlos e Jocafi – Ossain
29. Claudia – Ossain
30. Antonio Carlos & Jocafi – Quem Vem Lá
31. Marisa Rossi – Quem Vem Lá
32. Antonio Carlos & Jocafi – Se Quiser Valer
33. Wando – Benedito e Julieta
34. Jair Rodrigues – Camará… Ê
35. Joyce – Aldeia de Ogum
36. Milton Nascimento – Maria, Três Filhos
37. Jorge Bem – Frases
38. Milton Nascimento – Três Pontas
39. Elis Regina – Madalena
40. Ivan Lins – Madalena
41. Salinas – Tenha Fé, Pois Amanhã Um Lindo Dia Vai Nascer
42. Os Originais do Samba – Tenha Fé, Pois Amanhã Um Lindo Dia Vai Nascer
43. Jorge Ben – “Força Bruta” – Pulo, Pulo
44. Marcos Valle – Estrelar
45. Djavan – Nereci
46. Filó Machado – Origens
47. Paulinho da Costa – Toledo Bagel

1º Convidado – DJ Clayton/Pepo do Coletivo Esquadrão do Groove

Iniciando a seção de convidados, tive a honra de contar com a participação do DJ Clayton, também conhecido como Pepo, o DJ é integrante do Coletivo Esquadrão do Groove, que além de promover festas, estão sempre nas feiras de discos, com suas caixas trazendo muitos ótimos discos e com preços bem em conta.

Na entrevista o DJ conta como foi a influência dos familiares e amigos, para que se transforma-se em um grande admirador e colecionador de discos/vinil/lp, conta ainda, a influência que os bailes Black tiveram em sua formação cultural no período da juventude.

Para finalizar o DJ Clayton, fez um set mostrando um pouco de suas influências, que vão desde o Candomblé, Samba, Jazz e Funk.

Assista aos vídeos e confira as ideias trocadas e o set que o DJ fez, veja também os comentários feito pelo DJ Clayton, sobre os artistas que fizeram parte do seu set.

Set DJ Clayton/Pepo – Esquadrão do Groove

Luiz da Muriçoca – Saudação a Exu
Freddie Hubbard – Keep Your Soul Together
Ed Maciel – Kool and The Gang
Ramsey Lewis – 1,2,3
Pleasure – Thoughts of Old Flame
Wes Montgomery – Tequila
João Donato – Bambu
Stan Getz & Charlie Byrd – Samba de uma nota so
One Way – Mr. Groove
Jovelina Perola Negra – No mesmo manto
Bezerra da Silva & Genaro – A necessidade
Luiz Grande & Joãozinho da Pecadora – Sururu no Bate Bufo
Martinho da Vila – A Feira
Marku Ribas – Kazoada
Som 3 – Watch What Happens

ÁUDIO SET – DJ CLAYTON/PEPO

Comentários por DJ Clayton/Pepo

Luiz da Muriçoca – Grande Babalorixa baiano que lançou esse discos em 1971 sendo uma grande referência para a religião de matriz africana no Brasil. Em todo Candomblé que se preze sempre se inicia cantando para o Orixá Exu…
Freddie Hubbard – Disco essencial para se entender o fusion (Jazz Funk) produzido pelo lendário Creed Taylor e com participação do grande baixista Ron Carter que tive o prazer de conhecer em uma de suas idas para São Paulo.
Ed Maciel – Disco difícil de se encontrar porque por conta dessa musica muitos B.Boys e Dj’s estrangeiros começaram a cultuar esse disco, Break Beat de altíssimo nível! Ed Maciel foi um dos pilares da Bossa Nova junto com seu parceiro Raul de Souza eles incendiaram vários álbuns da Bossa Nova com seus trombones….
Ramsey Lewis – Pianista de Chicago que ficou famoso com seus trios de Jazz nos anos 60 e depois mergulhou no fusion obtendo grande êxito. Essa musica e muito tocada nos bailes nostalgia em São Paulo, e um fato interessante e que na bateria dessa musica esta nada menos que o grande Maurice White band Leader do Eart Wind & Fire.
Pleasure – Outra musica muito tocada nos bailes nostalgia em São Paulo, e que os amantes da Disco Funk adoram. Banda de Portland (lugar onde existem poucos pretos), que tem álbuns bem bacanas com muito Mojo e com o vocalista Sherman Davis quebrando tudo nos vocais…
Wes Montgomery – Minha primeira referencia junto com Stevie Wonder na musica negra americana, o professor Wes fez álbuns maravilhosos pelo selo Verve e outros pelo selo A&M Records do trompetista Herp Albert. Esse disco com orquestração de Claus Orgeman (ouçam o disco de Claus Orgeman “Watusi Trumpets”) que tem o mesmo nome que a musica, e uma referencia para vários guitarristas. Wes fazia o que queria com a guitarra! Eumir Deodato teve o prazer de orquestrar um dos seus últimos álbuns…
Joao Donato – O professor Dj Jazz a.k.a Carlos Tobaldini me apresentou esse disco gostoso de se ouvir do mestre Donato. Com uma grande influencia de Gilberto Gil e Caetano (que tinham acabado de voltar do exilio em Londres) Donato mergulhou no universo baiano, cantando Afoxé, e temas afros.
Stan Getz e Charlie Byrd – Outro disco do selo Verve que gosto muito! Charlie Byrd tinha um grande respeito pela musica brasileira gravando alguns álbuns de Bossa Nova e nesse álbum ele brinca com o seu violão e bebeu muito na fonte do professor Luiz Bonfá e de Bola Sete.
One Way – Negrada de Detroit, berço da Motown, onde surgiram muitos artistas que deram um novo rumo para a música negra americana. Nessa música acredito eu eles beberam na fonte do professor Roger Trautman do Zapp, muitas pessoas achavam que esse som era do Zapp! Ouçam os outros álbuns do One Way, sempre tem um bom Disco Funk pra seu ouvir e apreciar!
Jovelina Perola Negra – Uma das primeiras mulheres partideiras da historia do Samba, começou sua carreira musical já com mais de 40 anos, e era muito respeitada nas rodas de Partido Alto na baixada fluminense, no Cacique de Ramos e em vários morros cariocas. Esse Partido que toquei o pessoal do Santo (das religiões de matriz africana) adoram!
Bezerra da Silva & Genaro – A dupla 5 + 5!!! Assim eles se intitulavam, na minha opinião um dos maiores partideiros da historia do samba, e o pai do Rap brasileiro pois foi o primeiro a falar dos problemas sociais, da malandragem, da vida nas favelas…Esse samba e o cartão de visita de Bezerra da Silva e junto com o seu parceiro Genaro (que era do Grupo Nosso Samba e depois do Grupo Favela) esses fizeram vários partidos para a alegria dos nossos ouvidos…
Luiz Grande & Joaozinho da Pecadora – Outro Partido Alto da melhor qualidade. Luiz Grande e um grande compositor, que já foi gravado por Joao Nogueira e Bezerra da Silva e nesse samba ele utiliza a língua Bantu para narrar uma confusão em um pagode regado a comida. Joaozinho da Pecadora outro grande partideiro carioca que não brincava em serviço quando o assunto era Partido Alto.
Martinho da Vila – Esse Partido e do grande Murilão da Boca do Mato (que viviu ha 3 décadas ai em São Paulo) e além de ser um grande compositor de sambas (o samba “Minha Fe” que ficou famosa na voz do Zeca Pagodinho e dele também) também fez grandes sambas-enredos para varias escolas de samba de São Paulo nos anos 70 e 80 sempre com parceria de seu amigo Borba…Quem canta esse samba também e os meus amigos do Quinteto em Branco e Preto….
Marku Ribas – Tive o prazer de conhecer Marku e de ir em alguns de seus shows…Artista mineiro completo! Viveu alguns anos nas ilhas do Caribe e trouxe de lá uma sonoridade que daria identidade ao seu som!!! Os discos de Marku são sempre uma boa pedida! Sempre tem algum bom groove pra tocar nas festas!
Som 3 – Um trio que mudou a cena da música brasileira! Acompanharam Wilson Simonal nos seus melhores álbuns e contribuirão com alguns dos álbuns de Elis Regina. Na minha opinião foram eles que criaram o Break Beat brasileiro, claro com uma forte influencia de Herp Alpert & Tijuana Brass e Stevie Wonder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *